quarta-feira, 5 de maio de 2010

Entrevista com a mamãe Maria Célia.

Esta é Maria Célia e sua linda família. - arquivo pessoal

Estamos iniciando a maratona de entrevistas mãe é mãe, somos diferentes mas no fundo nutrimos o mesmo amor!
Bem a primeira entrevistada é Maria Célia Um doce de mãe que mora no interior de São Paulo.
Ela adora artesanato e tem seus mimos nesta página:


Maria Célia fale um pouco de você:

Meu nome é Maria Célia, 53 anos, moro em Lorena, pertinho de Aparecida do Norte. Gosto muito daqui, trabalho na cidade vizinha, não pego trânsito e a vida aqui ainda é mais pacata.


Conte um pouco de sua trajetória como mãe

Eu optei por ter filhos mais tarde (com 29 anos) para aproveitar mais um pouquinho a vida de casada, pois no meu tempo não tínhamos a liberdade que os jovens tem hoje. Sou mãe de um casal: Fernando com 25 anos e Luiza, de 22 anos. Eles são grandes companheiros de viagens, curtem finais de semana com a família e amigos. Já são formados, trabalham e só a Luiza mora fora.


O que você faz da vida? Não só profissionalmente.

Eu sou servidora pública federal e trabalho como secretária executiva há 30 anos. Supervisiono minha casa com ajuda da minha poderosa Naná e “de quebra” ajudo minha sogra a cuidar da casa dela que é muito movimentada e é o ponto de encontro da nossa família. Adoro fazer artesanato e até tenho um mini ateliê num quartinho do lado de fora da casa.


O que gosta mais e o que gosta menos de de fazer com os seus filhos?

Adoro sair e conversar com eles, me atualizar sabendo como falam e o que escutam por aí. Nessas horas é que podemos transmitir alguma coisa sutilmente para eles… O que eu menos gosto é constatar a bagunça que eles fazem mesmo sendo adultos ou quando divergem entre si por alguma bobeira.


Qual sua maior virtude e defeito como mãe?

Eu procuro ser atenciosa com eles, tanto no sentido de cuidados materiais como emocionais. Ter sempre em casa coisas que eles gostam de comer, beber etc… Procuro olhar bem nos olhos deles para perceber se estão alegres ou tristes e assim tentar ajudá-los. O defeito também deve ser esse: querer proteger demais…


Qual seu maior temor e sua maior esperança com relação ao futuro?

O temor é sempre a perda de um ente querido ou de não conseguir viver em paz. A esperança é que eles encontrem parceiros com o mesmo nível de educação e valores semelhantes aos nossos.

Se pudesse faria algo diferente? Se sim o que? Se não porque?

Eu ensinaria mais sobre a vida, dando-lhes um pouquinho mais de responsabilidades. Acho que os poupei de algumas atividades domésticas e hoje eles são meio “lesadinhos” nessas coisas. O fato de trabalhar fora fez com que eles fossem muito vigiados e mimados pela senhora que tomava conta deles. Mas deu certo, são jovens íntegros, sem vícios, trabalhadores e lindos, né?


O que significa o dia das mãe pra você?

Na verdade é um dia de congraçamento, não mais importante do dia-a-dia que exige tanto, mas que também gratifica demais.


Que tipo de mãe você é?

Carinhosa e atenciosa, mas que também chama para a realidade.


Deixe um pensamento para os leitores.

Eu aprendo com meus filhos. Por eles eu me calo ou falo o que eles precisam ouvir. Eu não desisto deles. Eu só quero que eles sejam felizes.

Querida Maria Célia, Obrigada pela participação sua experiência irá encantar muitas mães que passam por aqui.
Feliz dia das mães.
Bjokas
Karla Mãe Canguru

Um comentário:

Maria Celia disse...

Muito obrigada pela oportunidade.
Beijos e feliz dia das mães para vc!
Celia